Museu no Ingá

Construída por volta de 1860 pelo médico José Martins Rocha, o palacete foi definido como sede do governo pelo Governador Nilo Peçanha em 1904. Durante os anos seguintes, o palácio teve 43 ocupantes entre governadores interinos e interventores federais.
Com a fusão dos estados do Rio e da Guanabara, foi criada a Fundação Estadual de Museus do Rio de Janeiro, sendo o Palácio Nilo Peçanha utilizado para a implantação do Museu de Artes e Tradições Populares, inaugurado em 18 de Março de 1976, e do Museu Histórico do Estado do Rio de Janeiro, inaugurado em 23 de Março de 1977. Os dois funcionaram como unidades administrativas independentes, ocupando o mesmo espaço. Em 1991, através de decreto, passaram a constituir uma única unidade, denominada Museu de História e Arte do Estado do Rio de Janeiro.
O acervo é constituído de, aproximadamente, 4.800 peças entre mobiliário, porcelana, acessórios de indumentária, cristais, esculturas, fotografias e numismática, destacando-se peças . Possui cessão de uso da Pinacoteca Lucílio de Albuquerque com cerca de 120 obras de diversos artistas, destacando-se peças do Mestre Vitalino, Zé Caboclo, Carrancas do Guarani e esculturas de Mudinho. Entre as variadas expressões de cultura popular, destacam-se peças de indumentária e complementos de folguedos e danças folclóricas, artesanato fluminense e de outros estados, instrumentos de trabalho doméstico e rural, objetos afro-brasileiros, objetos representativos de festas populares, adornos e utensílios domésticos, brinquedos, ex-votos, literatura de cordel, artesanato indígena etc.

Rua Presidente Pedreira, 78 – Ingá Tel.: 2717-2903 E-mail: museudoingaeducativo@gmail.com
Visitação:Visitação livre: De Quarta a Domingo, das 12:00 às 17:00 horas Feriados: Fechado Visitas Guiadas: Quartas, Quintas e Sextas das 10:00 às 17:00 horas

Fonte: Neltur