Tag: turismo

Centro de artes Uff

O Teatro da UFF foi inaugurado no dia 14 de agosto de 1982. Era um presente cultural para o público de Niterói e municípios vizinhos, já que o antigo teatro do Hotel Cassino Icarahy (atual prédio da Reitoria da UFF) estava fechado há 35 anos. Reformado e equipado com o que havia de melhor em termos de maquinário e conforto para a época, o novíssimo Teatro da UFF viria a se tornar um espaço de referência, em Niterói, retomando a tradição do antigo Teatro Cassino Icarahy.
Além de espetáculos teatrais, o teatro apresenta shows de diversos gêneros musicais, balés, debates, seminários e outros projetos culturais coordenados pelo Centro de Artes UFF ou em parceria com outras instituições.
Rua Miguel de Frias, 09 – Icaraí
Tel.: 3674-7515

Fonte: Neltur

Teatro Abel

Inaugurado em abril de 1986, o Teatro Abel, localizado no bairro de Icaraí, é o maior de Niterói, figurando também na lista de maiores do Estado do Rio de Janeiro. Outro destaque são os 140m² de palco no formato italiano (sem balcão e com toda a plateia de frente para o palco), sendo também por isso considerado por muitos artistas como um dos melhores do Estado do Rio.
Rua Dr. Mário Alves, 2 – Icaraí
Tel.: 2621-9500

Fonte: Neltur

Teatro Popular Oscar Niemeyer

O Teatro Popular conta com palco reversível, que pode ser utilizado por uma plateia interna ou aberto para uma praça, abrigando espetáculos ao ar livre para até 10 mil pessoas. Uma parede de vidro permite que o público veja a Baía de Guanabara no interior do teatro. A fachada exibe cerâmicas com desenhos de Niemeyer.
O Caminho Niemeyer, o qual o Teatro Popular pertence, é um conjunto arquitetônico que fez de Niterói a segunda cidade do mundo com a maior quantidade de obras projetadas pelo arquiteto Oscar Niemeyer, atraindo visitantes de todas as partes do mundo.
Avenida Jornalista Rogério Coelho Neto, s/n. Centro.
Tel.: 2613-2734

Fonte: Neltur

Espaço Cultural Correios

Em 1912, tendo em vista o movimento postal crescente e em atendimento a reivindicações de diversas personalidades, o então presidente da República, Marechal Hermes da Fonseca, determinou a construção do Palácio dos Correios e Telégrafos. Atualmente o espaço destinado a atividades culturais no Palácio dos Correios é destinado a exposições de artes plásticas, espaços de convivência e uma sala de projeção. Exposição no térreo
Rua Visconde do Rio Branco, 481 – Centro
Tel: (21) 2622-3200 – (21) 2621-1161

Fonte: Neltur

 

Casa de Oliveira Viana

Alí viveu Francisco José de Oliveira Vianna, um dos maiores nomes da sociologia nacional, nascido em 1883 e falecido em 1951. No mesmo ano de sua morte o então Deputado Estadual João Batista de Vasconcelos Torres apresentou projeto autorizando o governo a desapropriar o imóvel (construído em 1911) com todos os pertences para nele instalar um museu e centro de estudos.
Em 1979 foi reformado e reaberto. Sua biblioteca, especializada em Sociologia, História, Política e Economia, conta com acervo de 15 mil peças entre móveis, louças, cristais e quadros, sendo grandes atrativos para pesquisadores e visitantes.
Alameda São Boaventura, 41 – Fonseca
Tel: (21) 3601-8220

Fonte: Neltur

Centro Cultural Abrigo dos Bondes – Espaço Antônio Callado.

Centro Cultural Abrigo dos Bondes – Espaço Antônio Callado.
O nome duplo faz referência à história do imóvel (que foi um abrigo de bondes) e homenageia o escritor niteroiense Antônio Calado.
O edifício foi construído em 1906 para abrigar a usina e as oficinas de reparos dos bondes da cidade de Niterói, que, no ano anterior, tiveram seu sistema de tração animal convertido em elétrico.
Na década de 60, a introdução dos trólebus nas ruas da cidade e a criação da Serve (Serviço de Transporte Coletivo do Estado do Rio de Janeiro), mais tarde transformada em CTC-RJ (Companhia de Transportes Coletivos do Rio de Janeiro), marcou o fim dos bondes. Com isso, teve início a decadência do prédio, que passou a funcionar como garagem de trólebus e depois de ônibus.
No início da década de 70, o prédio foi reformado, tendo uma parte demolida para permitir o alargamento da rua Marques do Paraná, necessário para construção dos acessos para a Ponte Rio-Niterói Pode-se observar que, com isso, o prédio ficou assimétrico.
Na década de 90, a CTC-RJ havia sido extinta e o antigo abrigo dos bondes estava abandonado. Em 1992, a Prefeitura de Niterói e a Secretaria Extraordinária para o Programa Especial de Educação do Rio de Janeiro, comandada por Darcy Ribeiro, elaboraram um projeto para instalar, no local, um Centro de Educação Ecológica. No entanto, a ideia não saiu do papel
Mesmo assim, devido ao seu valor histórico e arquitetônico para a cidade, a Prefeitura de Niterói tombou provisoriamente o imóvel em 7 de abril de 1993. Mais tarde, um acordo entre a Prefeitura e uma rede de supermercados permitiu a criação do Centro Cultural Abrigo dos Bondes, inaugurado em 10 de junho de 2009. A empresa revitalizou o prédio e foi autorizada a instalar, nele, uma de suas lojas.

Rua Marquês de Paraná, 100 – Centro
Tel.: 2620-8169
Entrada Gratuita Segunda a Sexta, das 9:00 às 17:00 horas Sábados e Domingos das 11:00 às 16:00

Igreja Nossa Senhora da Conceição

Situado no salão Nobre da Igreja Nossa Senhora da Conceição da Cidade, funciona em horário experimental, no primeiro domingo de cada mês. Possui rico acervo de valor histórico e religioso, como uma Pia Batismal em mármore do século XVIII, pratarias do século XIX, imagens de arte imaginária dos santos esculpidas em madeira do século XIX, entre outros.
A peça de maior importância é um Relicário do século XVIII, com fragmentos da Cruz de Cristo, o que contempla a cidade de Niterói com grande louvor. Na Sexta-Feira da Paixão, o Relicário sai para veneração.
Rua da Conceição, 216 – Centro
Tel.: 2717-0154
1° Domingo do mês, das 9:00 às 11:00 horas
Entrada Gratuita

Fonte: Neltur